Mocidade Alegre

Veja imagens da escola no Carnaval de 2012 de São Paulo

Informações sobre o álbums
  • editoria:"televisao"
  • galeria: Mocidade Alegre
  • link: "http://televisao.uol.com.br/album/teste-01_album.jhtm?abrefoto=8"
  • totalImagens: 88
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20100924183801
Fotos
Paulo Sérgio Ferreira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, anuncia a Mocidade Alegre como campeã do Carnaval 2012 Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
Integrantes da Mocidade Alegre voltam à quadra da escola para comemorar título do Carnaval de 2012 (22/2/12) Julia Chequer/Folhapress Mais
Aline Oliveira, rainha de bateria, e integrantes da Mocidade Alegre voltam à quadra da escola para comemorar título do Carnaval de 2012 (22/2/12) Julia Chequer/Folhapress Mais
Aline Oliveira, rainha de bateria, e integrantes da Mocidade Alegre voltam à quadra da escola para comemorar título do Carnaval de 2012 (22/2/12) Julia Chequer/Folhapress Mais
Aline Oliveira, rainha de bateria da Mocidade Alegre, segura taça de campeã do Carnaval de 2012 na quadra da escola (22/2/12) Julia Chequer/Folhapress Mais
Aline Oliveira, rainha de bateria da Mocidade Alegre, segura taça de campeã do Carnaval de 2012 na quadra da escola (22/2/12) Julia Chequer/Folhapress Mais
Após confusão e decisão tardia, Aline Oliveira, rainha de bateria da Mocidade Alegre, segura taça de campeã do Carnaval de 2012 na quadra da escola (22/2/12) Julia Chequer/Folhapress Mais
Solange Cruz, presidente da Mocidade Alegre, chega à quadra da escola com a taça de campeã (22/2/2012) Julia Chequer/Folhapress Mais
Após confusão e confirmação no final da noite de terça, Solange Bichara Rezende, presidente da Mocidade Alegre, chega à quadra da escola na madrugada de quarta-feira com a taça de campeã (22/2/2012) Julia Chequer/Folhapress Mais
Após confusão na apuração, Mocidade Alegre é declarada campeã e integrantes da escola voltam para a quadra na madrugada de quarta para comemorar (22/2/12) Reprodução Mais
Após confusão na apuração, Mocidade Alegre é declarada campeã e integrantes da escola voltam para a quadra na madrugada de quarta para comemorar (22/2/12) Reprodução Mais
Quadra da Mocidade fica vazia após escola cancelar a festa de comemoração. Resultado da apuração do Carnaval de São Paulo sairá na quarta (21/2/12) Reprodução Mais
Integrantes da Mocidade Alegre começam a deixar a quadra da escola após festa ser cancelada. Resultado da apuração do Carnaval de São Paulo sairá na quarta (21/2/12) Rubens Cavallari/Folhapress Mais
Após adiamento do resultado da apuração do Carnaval, Mocidade cancela festa (21/2/12) Rubens Cavallari/Folhapress Mais
Após adiamento do resultado da apuração do Carnaval, Mocidade cancela festa e quadra da escola começa a esvaziar (21/2/12) Rubens Cavallari/Folhapress Mais
O terceiro carro, que leva o nome do livro "Tenda dos Milagres", traz como destaque o ator Cássio Scapin, fantasiado de senhor de engenho, e representa o caldeirão de misturas que formam a identidade brasileira, mas também a preconceituosa e exploradora sociedade baiana, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
As baianas representam as festas cristãs baianas: a procissão de Nossa Senhora da Conceição das Praias e a lavagem das escadarias da Igreja do Senhor do Bonfim. Cada uma das tradicionais festas é representada por fantasias de cores diferentes, branca para a primeira e laranja para a segunda (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
O terceiro carro, que leva o nome do livro "Tenda dos Milagres", traz como destaque o ator Cássio Scapin, fantasiado de senhor de engenho, e representa o caldeirão de misturas que formam a identidade brasileira, mas também a preconceituosa e exploradora sociedade baiana, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
A escravidão, a repressão, o preconceito, mas também a conquista da liberdade do negro estão no segundo setor e carro da escola, que mostram ainda o orgulho negro, durante desfile na madrugada do domingo no Anhembi (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
A escravidão, a repressão, o preconceito, mas também a conquista da liberdade do negro estão no segundo setor e carro da escola, que mostram ainda o orgulho negro, durante desfile na madrugada do domingo no Anhembi (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Mocidade Alegre celebra o centenário do escritor Jorge Amado (nascido em 10 de agosto de 1912) com o enredo "Ojuobá No Céu, os olhos do rei... Na Terra, a morada dos milagres... No Coração um Obá muito Amado!" e um desfile de grande precisão técnica e ritmo hipnótico garantido pela toada tribal da bateria do mestre Sombra (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Mocidade Alegre celebra o centenário do escritor Jorge Amado (nascido em 10 de agosto de 1912) com o enredo "Ojuobá No Céu, os olhos do rei... Na Terra, a morada dos milagres... No Coração um Obá muito Amado!" e um desfile de grande precisão técnica e ritmo hipnótico garantido pela toada tribal da bateria do mestre Sombra (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Mocidade Alegre celebra o centenário do escritor Jorge Amado (nascido em 10 de agosto de 1912) com o enredo "Ojuobá No Céu, os olhos do rei... Na Terra, a morada dos milagres... No Coração um Obá muito Amado!" e um desfile de grande precisão técnica e ritmo hipnótico garantido pela toada tribal da bateria do mestre Sombra (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Ala Cruzando o Mar de Yemanjá. Xangô cruza o mar de Yemanjá e chega ao Novo Mundo para trazer justiça ao povo negro. Mocidade Alegre homenageia Jorge Amado durante desfile na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Primeira alegoria da Mocidade Alegre é uma exaltação a Xangô; escola homenageia o centenário de Jorge Amado (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
As baianas representam as festas cristãs baianas: a procissão de Nossa Senhora da Conceição das Praias e a lavagem das escadarias da Igreja do Senhor do Bonfim. Cada uma das tradicionais festas é representada por fantasias de cores diferentes, branca para a primeira e laranja para a segunda (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque em carro alegórico da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque em carro alegórico da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
A comissão de frente da Mocidade Alegre que se inspirou no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, que este ano completaria 100 anos, durante desfile no Anhembi, em São Paulo, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Mocidade Alegre celebra o centenário do escritor Jorge Amado (nascido em 10 de agosto de 1912) com o enredo "Ojuobá No Céu, os olhos do rei... Na Terra, a morada dos milagres... No Coração um Obá muito Amado!" e um desfile de grande precisão técnica e ritmo hipnótico garantido pela toada tribal da bateria do mestre Sombra (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Casal de mestre-sala e porta-bandeira da Mocidade Alegre exibe estandarte da escola durante desfile no Anhembi na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Alegoria "Fogo e Raios - Emoção da Minha Vida" da Mocidade Alegre é uma exaltação a Xangô; escola homenageia o centenário de Jorge Amado (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
O terceiro carro, que leva o nome do livro "Tenda dos Milagres", traz como destaque o ator Cássio Scapin, fantasiado de senhor de engenho, e representa o caldeirão de misturas que formam a identidade brasileira, mas também a preconceituosa e exploradora sociedade baiana, na madrugada de domingo (19/2/12) AFP Mais
Detalhe da fantasia de passista da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
Destaque em carro alegórico da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
O terceiro carro, que leva o nome do livro "Tenda dos Milagres", no desfile da Mocidade Alegre (19/2/12) AFP Mais
Destaque em carro alegórico da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) AFP Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) AFP Mais
O terceiro carro, que leva o nome do livro "Tenda dos Milagres", traz como destaque o ator Cássio Scapin, fantasiado de senhor de engenho, e representa o caldeirão de misturas que formam a identidade brasileira, mas também a preconceituosa e exploradora sociedade baiana, na madrugada de domingo (19/2/12) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
A rainha bateria da Mocidade Alegre, Aline Oliveira, empolga o público no Anhembi na madrugada de domingo (19/2/12) Eduardo Anizelli/Folhapress Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) AFP Mais
A rainha bateria da Mocidade Alegre, Aline Oliveira, empolga o público no Anhembi na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Carro da Mocidade Alegre com alegoria gigante representando o escritor Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Detalhe da fantasia de passista da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Destaque em carro alegórico da Mocidade Alegre, que homenageia o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Carro alegórico da Mocidade Alegre representa o universo de Jorge Amado em desfile no Anhembi, na madrugada de domingo(19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
O terceiro carro, que leva o nome do livro "Tenda dos Milagres", traz como destaque o ator Cássio Scapin, fantasiado de senhor de engenho, e representa o caldeirão de misturas que formam a identidade brasileira, mas também a preconceituosa e exploradora sociedade baiana, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Casal de mestre-sala e porta-bandeira da Mocidade Alegre exibe estandarte da escola durante desfile no Anhembi na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Casal de mestre-sala e porta-bandeira da Mocidade Alegre exibe estandarte da escola durante desfile no Anhembi na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Mocidade Alegre celebra o centenário do escritor Jorge Amado (nascido em 10 de agosto de 1912) com o enredo ?Ojuobá ? No Céu, os olhos do rei... Na Terra, a morada dos milagres... No Coração um Obá muito Amado!? e um desfile de grande precisão técnica e ritmo hipnótico garantido pela toada tribal da bateria do mestre Sombra (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Fantasia da Mocidade Alegre que representa a elite baiana. A escola celebra o centenário do escritor Jorge Amado (nascido em 10 de agosto de 1912) com o enredo ?Ojuobá ? No Céu, os olhos do rei... Na Terra, a morada dos milagres... No Coração um Obá muito Amado!? e um desfile de grande precisão técnica e ritmo hipnótico garantido pela toada tribal da bateria do mestre Sombra (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Lanna Moraes, da Mocidade Alegre, escola de samba cujo enredo se inspira no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, agita o público no Anhembi, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Lanna Moraes, da Mocidade Alegre, escola de samba cujo enredo se inspira no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, agita o público no Anhembi, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Passista da Mocidade Alegre, cujo samba-enredo foi inspirado no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, agita o público no Anhembi em São Paulo na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Passista da Mocidade Alegre, cujo samba-enredo foi inspirado no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, agita o público no Anhembi em São Paulo na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Detalhe de carro alegórico da Mocidade Alegre, que homenageia o centenário de Jorge Amado, que este ano completaria 100 anos, durante desfile no Anhembi, em São Paulo, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
A comissão de frente da Mocidade Alegre que se inspirou no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, que este ano completaria 100 anos, durante desfile no Anhembi, em São Paulo, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
A comissão de frente da Mocidade Alegre que se inspirou no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, que este ano completaria 100 anos, durante desfile no Anhembi, em São Paulo, na madrugada de domingo (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Primeira alegoria da Mocidade Alegre é uma exaltação a Xangô; escola homenageia o centenário de Jorge Amado (19/2/12) Alexandre Schneider/UOL Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) Reprodução Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) Reprodução Mais
A rainha bateria da Mocidade Alegre, Aline Oliveira, sobe em plataforma e toca tambor (19/2/2012) Reprodução Mais
O casal de mestre-sala e porta-bandeira Emerson e Adriana desfila pela Mocidade Alegre (19/2/2012) Reprodução Mais
O casal de mestre-sala e porta-bandeira Emerson e Adriana desfila pela Mocidade Alegre (19/2/2012) Reprodução Mais
A rainha bateria da Mocidade Alegre, Aline Oliveira, sobe em plataforma e toca tambor (19/2/2012) Reprodução Mais
A rainha bateria da Mocidade Alegre, Aline Oliveira, sobe em plataforma e toca tambor (19/2/2012) Reprodução Mais
A rainha bateria da Mocidade Alegre, Aline Oliveira, anima os músicos (19/2/2012) Reprodução Mais
A bateria da Mocidade Alegre entra no recuo (19/2/12) Reprodução Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) Reprodução Mais
Carro abre-alas da Mocidade Alegre faz exaltação a Xangô com a expressão "Ojuobá", que significa "Olhos do Rei" ou "Olhos de Xangô" e também é um título honorífico africano concedido aos altos sacerdotes de cultos africanos e dos rituais de candomblé no Brasil (19/2/12) Reprodução Mais
A comissão de frente da Mocidade Alegre que se inspirou no livro "Tenda dos Milagres", de Jorge Amado, que este ano completaria 100 anos, durante desfile no Anhembi, em São Paulo, na madrugada de domingo (19/2/12) Reprodução Mais
Primeira alegoria da Mocidade Alegre é uma exaltação a Xangô; escola homenageia o centenário de Jorge Amado (19/2/12) Reprodução Mais
Ala das baianas da Mocidade Alegre faz ensaio técnico no sambódromo do Anhembi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Ala das baianas da Mocidade Alegre faz ensaio técnico no sambódromo do Anhembi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Rainha de bateria da Mocidade Alegre, em ensaio técnico da escola no Anhemi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Bateria da Mocidade Alegre faz ensaio técnico no sambódromo do Anhembi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Ala das baianas da Mocidade Alegre faz ensaio técnico no sambódromo do Anhembi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Ensaio técnino da escola Mocidade Alegre, a segunda a entrar no no sambódromo do Anhembi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Bateria da Mocidade Alegre faz ensaio técnico no sambódromo do Anhembi (14/1/12) Rodrigo Paiva/UOL Mais
Incêndio destroi galpão onde ficavam alegorias da escola de samba Mocidade Alegre, sob o viaduto Pompeia. Marlene Bergamo/Folhapress Mais
Bombeiros tentam controlar focos de incêndio no barracão da Mocidade Alegre nesta segunda-feira (9) Mauricio Camargo/Futura Press Mais
Bombeiro tenta combater fogo em balcão da Mocidade Alegre nesta segunda-feira (9) Futura Press Mais
Hospedagem: UOL Host