Conheça os animais do zoológico de São Paulo

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://fotos.noticias.bol.uol.com.br:80/entretenimento/2012/07/23/zoologico-sp.htm
  • totalImagens: 77
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120723220716
    • Animais [17229]; Bichos [11920]; Zoológico de São Paulo [60371];
    • São Paulo [5106]; Turismo [9854];
Fotos
A reportagem do BOL preparou um passeio pelo zoo de São Paulo e convida você, internauta, para conhecer algumas das espécies que habitam o parque. Confira fotos e curiosidades de ursos, girafas, camelos, hipopótamos, macacos e outros bichos que fazem parte do grupo de animais de um dos maiores zoológicos da América Latina (por Ronaldo Marques). Monalisa Lins/BOL Mais
Durante o passeio, a bióloga Ana Carolina Batista, 24, acompanhou a reportagem do BOL. Ela trabalha há cerca de um ano no zoológico de São Paulo, cuidando do manejo e da alimentação dos animais. Monalisa Lins/BOL Mais
A bióloga Ana Carolina explica que "o trabalho no zoológico proporciona uma grande aproximação com os bichos. Você consegue perceber que cada animal tem a sua característica, a sua personalidade". Monalisa Lins/BOL Mais
Carismático, o urso-de-óculos foi um dos primeiros animais visitados pela reportagem. Único urso que habita a América do Sul, a espécie é considerada vulnerável à extinção e sofre com a caça ilegal. No zoo, o urso Bob, que aproveitou o calor da tarde para se refrescar em um laguinho, faz companhia ao irmão, Marley, que, por ser mais tímido, ficou de costas na hora da fotografia. Monalisa Lins/BOL Mais
Carismático, o urso-de-óculos foi um dos primeiros animais visitados pela reportagem. Único urso que habita a América do Sul, a espécie é considerada vulnerável à extinção e sofre com a caça ilegal. No zoo, o urso Bob aproveita o calor da tarde para se refrescar em um laguinho. Monalisa Lins/BOL Mais
Carismático, o urso-de-óculos foi um dos primeiros animais visitados pela reportagem. Único urso que habita a América do Sul, a espécie é considerada vulnerável à extinção e sofre com a caça ilegal. No zoo, o urso Bob aproveitou o calor da tarde para se refrescar em um laguinho. Monalisa Lins/BOL Mais
Pouco conhecido do público, o cachorro-vinagre habita florestas das Américas Central e do Sul. Dentre as espécies canídeas do Brasil, está entre as mais sociais, sendo encontrado em matilhas de 4 a 10 indivíduos em seu habitat natural. Infelizmente, o cachorro-vinagre também está ameaçado de extinção, e sua sobrevivência em cativeiro faz parte do plano para salvar e perpetuar a espécie. Monalisa Lins/BOL Mais
Pita é constantemente confundido com uma lhama, mas o bicho é uma alpaca, uma espécie de 'parente' do famoso animal peruano. Ele pesa aproximadamente 65 quilos e pode viver até 28 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O mais famoso 'caçador de formigas' brasileiro é o tamanduá-bandeira. O animal chama a atenção pelo formato de seu focinho achatado e a lingua comprida, que ele enfia em buracos de formigueiros e cupinzeiros atrás de seu alimento favorito. O bicho da foto é a fêmea Camila, que se tornou mãe recentemente; o filhotinho não quis sair da toca para aparecer na foto. Monalisa Lins/BOL Mais
A elefante africana Teresita é considerada um dos animais mais divertidos do zoológico. Ela adora fazer poses para fotografias, o que acabou a transformando em uma das atrações mais disputadas do público. Segundo a bióloga Ana Carolina Batista, Teresita adora massagear os 'pezinhos' na pedra. O elefante é o maior mamífero terrestre do planeta. Monalisa Lins/BOL Mais
Imortalizado pelo desenho animado, o pica-pau é uma das aves mais conhecidas do planeta. Fácil de ser identificado pelo topete vermelho e hábito de bicar a madeira, o pássaro é um dos mais bonitos da alameda de aves - e um dos mais fotogênicos também. Monalisa Lins/BOL Mais
Imortalizado pelo desenho animado, o pica-pau é uma das aves mais conhecidas do planeta. Fácil de ser identificado pelo topete vermelho e hábito de bicar a madeira, o pássaro é um dos mais bonitos da alameda de aves - e um dos mais fotogênicos também. Monalisa Lins/BOL Mais
Rei da selva, o leão é o animal mais popular do parque - e o que mais mexe com a imaginação popular. No dia da reportagem, o grupo de leões do zoo de SP estava em uma área de descanso enquanto aguardava a limpeza da jaula e, por isso, os animais não foram fotografados. A foto acima foi cedida pelo zoológico de São Paulo. Divulgação/Zoo-SP Mais
Rei da selva, o leão é o animal mais popular do parque - e o que mais mexe com a imaginação popular. No dia da reportagem, o grupo de leões do zoo de SP estava em uma área de descanso enquanto aguardava a limpeza da jaula e, por isso, os animais não foram fotografados. A foto acima foi cedida pelo zoológico de São Paulo. Divulgação/Zoo-SP Mais
O filhote de girafa Ssfira saiu de sua cabana para se exibir à reportagem. Ele posa ao lado da mãe, Mel. As girafas são originárias das planícies africanas e podem viver até 25 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O filhote de girafa Ssfira saiu de sua cabana para se exibir à reportagem. Ele posa ao lado da mãe, Mel. As girafas são originárias das planícies africanas e podem viver até 25 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O filhote de girafa Ssfira saiu de sua cabana para se exibir à reportagem. Ele posa ao lado da mãe, Mel. As girafas são originárias das planícies africanas e podem viver até 25 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
Os grandes rinocerontes brancos são originários do sudeste africano. Apesar do nome, a coloração do animal é acinzentada (no caso da foto, amarronzada pelo contato do bicho com o solo). O chifre do rinoceronte é considerado sagrado e muito valioso, sendo o motivo da ampliação da caça ilegal que o colocou entre os animais em extinção. Monalisa Lins/BOL Mais
Uma das aves de rapina mais conhecidas das Américas, o Condor é a segunda maior ave do planeta. Considerado sagrado pelos antigos incas, o animal possui um porte imponente e pode viver por aproximadamente 40 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O abutre da cabeça branca é uma das raras espécies de aves carnívoras que habitam a savana do continente africano. Monalisa Lins/BOL Mais
O gavião-pega-macaco habita florestas das Américas Central e do Sul e é um excelente caçador. Na foto, é possível identificar um pequeno rato branco que acabou virando comida desta ave predadora. Monalisa Lins/BOL Mais
A águia-chilena é uma das aves de rapina mais conhecidas da América do Sul. Ela habita montanhas e campos do continente e se alimenta de pequenas aves, ratos e esquilos. Monalisa Lins/BOL Mais
O urubu-rei recebeu este nome principalmente pela força de seu bico, que consegue abrir carcaças de animais mortos, parte de sua alimentação. Ele também se diferencia dos outros urubus por exibir um intenso colorido em sua cabeça. Monalisa Lins/BOL Mais
O urubu-rei recebeu este nome principalmente pela força de seu bico, que consegue abrir carcaças de animais mortos, parte de sua alimentação. Ele também se diferencia dos outros urubus por exibir um intenso colorido em sua cabeça. Monalisa Lins/BOL Mais
Zebras pastam no zoológico de São Paulo. O animal africano é famoso por seu corpo listrado. Cada indivíduo da espécie tem um desenho diferente de listra que o torna único, assim como as digitais no ser humano. Monalisa Lins/BOL Mais
Zebras pastam no zoológico de São Paulo. O animal africano é famoso por seu corpo listrado. Cada indivíduo da espécie tem um desenho diferente de listra que o torna único, assim como as digitais no ser humano. Monalisa Lins/BOL Mais
Ao lado das zebras, há várias espécies de antílopes originários das planícies africanas. Monalisa Lins/BOL Mais
Um dos animais mais velhos do zoológico é a camela Rosângela. Os camelos são animais nativos das áreas desérticas e secas da Ásia e podem viver até 50 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
Frequentemente confundidos com os camelos, os dromedários fazem parte da mesma família dos camelos, mas possuem apenas uma corcova nas costas e são menores que seus parentes. Na imagem, o macho Alaor, que se tornou papai de um filhotinho recentemente. Monalisa Lins/BOL Mais
O filhote de dromedário 'Dirsinho' tem uma história curiosa. Após sentir dores durante a amamentação, sua mãe parou de alimentá-lo; desde então ele vem sendo cuidado pelos tratadores do zoológico, em especial por Dirson, de quem herdou o apelido carinhoso. Monalisa Lins/BOL Mais
Dirson trabalha há 18 anos no zoológico e já tratou de diversos animais. Sua mais recente tarefa é cuidar das jaulas do camelo e do dromedário, posto que o levou a ter uma aproximação maior com o filhote 'Dirsinho'. O pequeno dromedário parou de ser alimentado pela mãe, mas ganhou a atenção especial de seu tratador. Monalisa Lins/BOL Mais
Foto dá a visão geral do lago do zoológico. Durante o inverno, o local recebe diversas aves migratórias que se 'aproveitam' da segurança e alimentação oferecidas pelo parque. Monalisa Lins/BOL Mais
Gracioso e perigoso, o hipopótamo é um dos animais que mais matam na savana africana, apesar de aparentar ser um bicho 'calmo'. A espécie da foto é uma fêmea. Monalisa Lins/BOL Mais
Gracioso e perigoso, o hipopótamo é um dos animais que mais matam na savana africana, apesar de aparentar ser um bicho 'calmo'. A espécie da foto é uma fêmea. Monalisa Lins/BOL Mais
Gracioso e perigoso, o hipopótamo é um dos animais que mais matam na savana africana, apesar de aparentar ser um bicho 'calmo'. A espécie da foto é uma fêmea, que não resistiu ao calor que fazia e foi se refrescar debaixo d'água. Monalisa Lins/BOL Mais
Gracioso e perigoso, o hipopótamo é um dos animais que mais matam na savana africana, apesar de aparentar ser um bicho 'calmo'. A espécie da foto é uma fêmea, que não resistiu ao calor que fazia e foi se refrescar debaixo d'água. Monalisa Lins/BOL Mais
Gracioso e perigoso, o hipopótamo é um dos animais que mais matam na savana africana, apesar de aparentar ser um bicho 'calmo'. A espécie da foto é uma fêmea, que não resistiu ao calor que fazia e foi se refrescar debaixo d'água. Monalisa Lins/BOL Mais
Um pouco mais arisco que as outras zebras do zoo, 'Zebrão' é um legítimo macho. A bióloga Ana Carolina explicou que ele prefere interagir com o público feminino, e quem gostou dessa interação foi a fotógrafa da matéria, Monalisa Lins, que conseguiu poses exclusivas do 'garotão'. Monalisa Lins/BOL Mais
"O Zebrão gosta de mulher. Ele precisou ficar separado das outras zebras porque é mais arisco. Ele é bem ?macho? mesmo", brinca a bióloga Ana Carolina Batista. Monalisa Lins/BOL Mais
O macaco-prego-de-peito-amarelo está entre os animais mais visitados do zoológico de São Paulo. Carismáticos e bagunceiros, os primatas são bastante curiosos e adoram se exibir para o público. Eles podem viver até 40 anos. Na foto, um dos macacos descobriu e pegou um peixe; ele não parou de mexer na 'descoberta'. Monalisa Lins/BOL Mais
O macaco-prego-de-peito-amarelo está entre os animais mais visitados do zoológico de São Paulo. Carismáticos e bagunceiros, os primatas são bastante curiosos e adoram se exibir para o público. Eles podem viver até 40 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O macaco-prego-de-peito-amarelo está entre os animais mais visitados do zoológico de São Paulo. Carismáticos e bagunceiros, os primatas são bastante curiosos e adoram se exibir para o público. Eles podem viver até 40 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O macaco-prego-de-peito-amarelo está entre os animais mais visitados do zoológico de São Paulo. Carismáticos e bagunceiros, os primatas são bastante curiosos e adoram se exibir para o público. Eles podem viver até 40 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
O majestoso grou-coroado está entre as mais belas aves do acervo do zoológico. Eles são originários do sul e sudeste da África. Monalisa Lins/BOL Mais
Outros primatas que adoram interagir com o público são os macacos-aranha. Eles habitam uma ilha localizada no meio do lago do zoo e adoram saltar de galho em galho. Monalisa Lins/BOL Mais
Outros primatas que adoram interagir com o público são os macacos-aranha. Eles habitam uma ilha localizada no meio do lago do zoo e adoram saltar de galho em galho. Monalisa Lins/BOL Mais
Mais comum no Pantanal, as queixadas são uma espécie de porco-selvagem. Elas costumam viver em bandos, que podem agrupar dezenas de animais. Monalisa Lins/BOL Mais
Mais comum no Pantanal, as queixadas são uma espécie de porco-selvagem. Elas costumam viver em bandos, que podem agrupar dezenas de animais. Monalisa Lins/BOL Mais
Agitado, o lince do zoo de São Paulo não era um alvo fácil de se fotografar. O felino de porte médio andava de um lado ao outro de sua jaula, sem parar sequer um minuto para um descanso. Monalisa Lins/BOL Mais
Agitado, o lince do zoo de São Paulo não era um alvo fácil de se fotografar. O felino de porte médio andava de um lado ao outro de sua jaula, sem parar sequer um minuto para um descanso. Monalisa Lins/BOL Mais
A onça-parda Kit se exibe em sua jaula. Também conhecido como suçuarana, o felino é um dos maiores predadores naturais do Brasil. Monalisa Lins/BOL Mais
A onça-parda Kit se exibe em sua jaula. Também conhecido como suçuarana, o felino é um dos maiores predadores naturais do Brasil. Monalisa Lins/BOL Mais
É possível encontrar diversos flamingos entre as aves que habitam os lagos do zoológico de São Paulo. Monalisa Lins/BOL Mais
É possível encontrar diversos flamingos entre as aves que habitam os lagos do zoológico de São Paulo. Monalisa Lins/BOL Mais
É possível encontrar diversos flamingos entre as aves que habitam os lagos do zoológico de São Paulo. Monalisa Lins/BOL Mais
Não se engane pela aparência fofinha deste 'gatinho'. O serval é um felino de porte pequeno que impõe respeito nas savanas africanas. A espécie pode viver aproximadamente 19 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
A anta é o maior mamífero terrestre originário do Brasil. Ele vive em florestas e campos da América do Sul, desde o leste da Colômbia até o norte da Argentina e Paraguai. Sua narina, longa e flexível, lembra uma pequena tromba. Monalisa Lins/BOL Mais
A anta é o maior mamífero terrestre do Brasil. Ele vive em florestas e campos da América do Sul, do leste da Colômbia até o norte da Argentina e Paraguai. Sua narina, longa e flexível, lembra uma pequena tromba. Monalisa Lins/BOL Mais
Maior felino do mundo, o tigre-siberiano é um dos animais mais majestosos do zoológico de São Paulo. A imagem cedida pelo zoo mostra o animal que está alojado no parque. No dia da reportagem, a equipe não conseguiu fotografar o bicho, que estava em período de recolhimento. Divulgação/Zoo-SP Mais
Uma das mais recentes moradoras do zoológico de São Paulo, a elefanta indiana Hangun estava passando dificuldades em um zoo de Salete (SC). Monalisa Lins/BOL Mais
As elefantas asiáticas Hangun e Serva viviam em péssimas condições dentro de um espaço de 50 metros na cidade de Salete, interior de Santa Catarina. Elas ganharam uma jaula adequada em São Paulo após uma ação para trazê-las ao zoo, que aconteceu por meio do programa da rede Globo 'Caldeirão do Huck'. Monalisa Lins/BOL Mais
As elefantas asiáticas Hangun e Serva viviam em péssimas condições dentro de um espaço de 50 metros na cidade de Salete, interior de Santa Catarina. Elas ganharam uma jaula adequada em São Paulo após uma ação para trazê-las ao zoo, que aconteceu por meio do programa da rede Globo 'Caldeirão do Huck'. Monalisa Lins/BOL Mais
As elefantas asiáticas Hangun e Serva viviam em péssimas condições dentro de um espaço de 50 metros na cidade de Salete, interior de Santa Catarina. Elas ganharam uma jaula adequada em São Paulo após uma ação para trazê-las ao zoo, que aconteceu por meio do programa da rede Globo 'Caldeirão do Huck'. Monalisa Lins/BOL Mais
O ideal seria que as duas elefantas comessem 150 quilos de comida cada e vivessem em um espaço equivalente a 40 vezes o tamanho do local onde estavam instaladas. Monalisa Lins/BOL Mais
O gavial-da-malásia parece um jacaré, mas ele é mais próximo da famíla dos crocodilos. O animal é um réptil que vive em lagos, pântanos e rios da Malásia e da Indonésia e pode viver por cerca de 50 anos. Monalisa Lins/BOL Mais
Ameaçado de extinção, o lobo-guará é um dos mais famosos animais do Brasil. Considerado tímido, ele costuma viver solitário e evita o máximo possível o contato com o ser humano. A principal causa de sua extinção é o desmatamento do cerrado para plantações de soja e pastos de gados. Monalisa Lins/BOL Mais
Ameaçado de extinção, o lobo-guará é um dos mais famosos animais do Brasil. Considerado tímido, ele costuma viver solitário e evita o máximo possível o contato com o ser humano. A principal causa de sua extinção é o desmatamento do cerrado para plantações de soja e pastos de gados. Monalisa Lins/BOL Mais
Jacarés e tartarugas convivem em harmonia nas jaulas do zoo de São Paulo. Monalisa Lins/BOL Mais
O leão-marinho gostou tanto de mergulhar em sua piscina que não se deu ao trabalho de sair da água para a foto. Animais carismáticos e inteligentes, os leões-marinhos podem ser encontrados desde o litoral sul do Brasil, Uruguai, Argentina e Chile, até as praias rochosas do Peru. Monalisa Lins/BOL Mais
Entre o acervo do zoológico destaca-se a gaiola das araras, uma jaula bem ampla com diversas espécies da ave tropical. No local é possível identificar a arara-vermelha (esq.),e a arara-canindé (dir.), com penas amarelas e azuis. Monalisa Lins/BOL Mais
Araras-azuis estão entre as espécies de araras catalogadas no zoológico de São Paulo. Monalisa Lins/BOL Mais
As araras são aves tipicamente brasileiras. Na imagem uma espécie de arara-canindé, que possui a penagem com a coloração azul e amarela. Monalisa Lins/BOL Mais
Arara-vermelha se aproxima da grade e parece 'fazer pose' para a foto. Monalisa Lins/BOL Mais
Tipicamente brasileiro, o mico-leão-de-cara-dourada vive apenas em uma área muito pequena do interior da Bahia, por isso, sua espécie corre sério risco de extinção. Infelizmente, é um dos animais que mais sofrem com o tráfico internacional de espécies silvestres. Monalisa Lins/BOL Mais
Tipicamente brasileiro, o mico-leão-de-cara-dourada vive apenas em uma área muito pequena do interior da Bahia, por isso, sua espécie corre sério risco de extinção. Infelizmente, é um dos animais que mais sofrem com o tráfico internacional de espécies silvestres. Monalisa Lins/BOL Mais
Os micos-leões-pretos já foram considerados extintos no início do século 20 e sua 'extinção' foi uma das causas que motivaram um maior interesse pela preservação das espécies brasileiras. Na década de 50, foram encontradas espécies que habitavam o interior do Estado de São Paulo. Monalisa Lins/BOL Mais
A ararajuba é uma das aves que mais representam a fauna brasileira. Ela habita a região do Pará e Maranhão e sua coloração 'patriota' alude às cores da bandeira do Brasil. Monalisa Lins/BOL Mais
Hospedagem: UOL Host