Dê sobrevida a bens reutilizáveis por meio do consumo colaborativo

Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://fotos.noticias.bol.uol.com.br:80/entretenimento/2012/10/15/de-sobrevida-a-bens-reutilizaveis-por-meio-do-consumo-colaborativo.htm
  • totalImagens: 18
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20121015185707
    • Consumo Colaborativo [63827]; Consumo [14580]; Meio ambiente [11359]; Sustentabilidade [12438];
Fotos

O consumo colaborativo - prática que consiste em trocar, alugar e compartilhar produtos em escala global - permite acesso a bens de consumo ou serviços sem precisar comprá-los BuscaLá/Reprodução Mais

Pautada no pensamento 'o que é meu é seu', a prática do consumo colaborativo surgiu nos Estados Unidos, entre 2008 e 2009, impulsionada pela crise americana Nexcoworking/Reprodução Mais

Grande parte das transações acontece no território virtual. Sites e redes sociais reúnem pessoas com objetivos de adquirir ou de se "livrar" de objetos que vão atender a outras necessidades BuscaLá/Reprodução Mais

O esquema é simples e ágil. O usuário faz o anúncio do produto ou serviço e logo recebe uma contraproposta. E vale tudo, desde a troca de uma câmera fotográfica por um celular, o empréstimo de um livro, aluguel de brinquedos ou até mesmo de carro ou bicicleta - neste caso, pagando por um valor quase irrisório, apenas pelo período que vai utilizar BuscaLá/Reprodução Mais

A alternativa mercantil tem como base a teoria dos 3 'erres': redução do consumo de resíduos, reutilização dos produtos e reciclagem. Para o professor e ambientalista Roberto Wagner Lourenço, da Unesp (Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho), a nova prática comercial "é uma importante forma de se empregar os já conceituados atributos ambientais da teoria dos três ?erres? ? redução de consumo de resíduos, reutilização dos produtos e reciclagem". Segundo Lourenço, a prática do consumo colaborativo pode constituir novos valores e formar uma sociedade livre do consumo exploratório e mais voltada à cidadania ambiental Reprodução Mais

Fernanda Athayde, idealizadora do aplicativo para Facebook "Dois Camelos", explica a principal vantagem do consumo colaborativo. "Em primeiro lugar, a medida que um produto passa a ser utilizado por mais pessoas, surgem vantagens para o meio ambiente. A fabricação de produtos em escala menor significa menos pressão sobre as matérias primas naturais, sobre o consumo de energia. Um objeto amplamente utilizado chegará mais tarde ao lixo, ou seja, menos resíduos serão gerados" Vipal/Reprodução Mais

Em maio de 2011, a revista americana "Time" listou a prática do consumo colaborativo entre as "10 ideias que vão mudar o mundo" Time/Reprodução Mais

Para o engenheiro de nateriais Guilherme Brammer (no centro da foto), precursor da nova tendência no Brasil e criador do site "DescolaAí", o consumo colaborativo não é uma prática tão moderna assim. "Lembro da minha avó com seus vizinhos, aqui em São Paulo, sempre trocando coisas, emprestando utensílios, fazendo "vaquinha" para comprar algo legal para que todos da rua pudessem usufruir. Ela viveu em uma época pós-guerra, em que a visão de escassez era muito presente. E isso foi há 30 anos", disse Arquivo pessoal Mais

O site "DescolaAí" (www.descolaai.com) é um dos mais populares portais de consumo colaborativo. Idealizado pelo engenheiro de materiais Guilherme Brammer, oferece aluguel e troca de produtos e serviços Reprodução Mais

"Dois Camelos", aplicativo para Facebook, foi idealizado por Fernanda Athayde e Rafael Zanoni em maio de 2011. Atualmente, a página conta com mais de 43 mil usuários cadastrados e quase 5 mil ofertas. A missão do 'Dois Camelos' é promover o consumo consciente, fazendo com que as pessoas, interconectadas em rede, levem para o seu dia a dia valores ambientais dos mais importantes. Acreditando que mudanças de hábitos devem começar em casa, desenvolveram um sistema simples e seguro, que permite aos usuários do Facebook a realização de trocas valendo-se da sua rede de contatos", diz Fernanda Reprodução Mais

O site "BuscaLá" (www.buscala.com.br) promove troca ou aluguel de móveis, eletrônicos, artesanato, acessórios esportivos e outros Reprodução Mais

"Carsharing" (compartilhamento de carro) oferece todos os benefícios de um carro particular, sem ter que arcar com os custos e responsabilidades de um dono de automóvel. Grande tendência para um futuro sustentável, o serviço consiste em pagar apenas pelo período de utilização do veículo. No Brasil, a Zazcar (www.zazcar.com.br) é uma das precursoras do segmento que surgiu na Europa e nos EUA. A operadora disponibiliza diversos pontos espalhados pelas cidades brasileiras Reprodução Mais

O ramo hoteleiro também adotou o consumo colaborativo. Fundada em agosto de 2008, na Califórnia (EUA), a "Airbnb" (www.airbnb.com.br) é um mercado comunitário, de confiança, para as pessoas anunciarem, descobrirem e reservarem acomodações exclusivas em todo o mundo - online ou de um telefone celular. Seja um apartamento para uma noite, um castelo por uma semana, ou uma mansão por um mês, tudo a preços mais populares. A empresa chegou ao Brasil em 2012 Reprodução Mais

Para os apaixonados pela leitura, o consumo colaborativo apresenta sites de trocas como o "Livra Livro" (www.livralivro.com.br) e o "Troca de Livros" (www.trocadelivros.com.br). Ambos disponibiilzam gêneros variados Divulgação Mais

Fora do ambiente virtual, é possível encontrar feiras de trocas que oferecem uma variedade de produtos. O Núcleo Educativo da Casa das Rosas, em São Paulo, promove mensalmente uma feira de troca de livros, gibis e brinquedos. Só não valem livros didáticos e brinquedos quebrados. A próxima atividade acontece neste sábado (20/10/12), das 14h às 17h. A Casa das Rosas está situada na Avenida Paulista, 37, São Paulo Casa das Rosas Mais

Escambo Chique - O "Desapegue" é um evento mensal que acontece no Bar do Santa, na Vila Madalena (SP). Voltado para o público feminino, o "escambo chique", como define o publicitário e idealizador do projeto, Rogério Gomes, promove troca de peças usadas de vestuário. As interessadas em participar devem levar, no máximo, 20 peças que não utilizam mais. Valem roupas, calçados e acessórios (exceto lingeries e bijuterias). Todas devem estar em bom estado de conservação, limpas e, principalmente, dentro de uma tendência de moda contemporânea ou clássica. A próxima feira acontece em 25/10/12, às 19h. O Bar do Santa está localizado na Rua Fidalga, 330, Vila Madalena. Maiores informações pelo site www.desapegue.com.br Divulgação Mais

Aluguel de brinquedos - a "BBzum", em São Paulo, reúne os brinquedos mais desejados pela criançada. A loja oferece cerca de 600 produtos para aluguel - diário, quinzenal ou mensal. Mais informações: www.bbzum.com.br Reinaldo Meneguim/Divulgação Mais

"O consumo colaborativo, ou 'share economy', com certeza será um fator de mudança significativa na forma como o ser humano interage entre nações. Empresas terão que adaptar seus modelos antiquados por modelos abertos, colaborativos, onde os consumidores realmente participem da criação de produtos e serviços que eles mesmos usufruirão. É uma nova onda na relação empresa-cliente e, se pensarmos bem, faz muito mais sentido do que um modelo de produzir algo que ficará pouco tempo na mão do consumidor e tão logo será jogado em algum lixão ou aterro espalhado pelo planeta", acredita Guilherme Brammer, engenheiro e criador do site "DescolaAí" BuscaLá/Reprodução Mais
Hospedagem: UOL Host